terça-feira, 6 de janeiro de 2009

MUDANÇAS ORTOGRÁFICAS – 2009


Francisco Miguel de Moura*

Acentos:

I - A letra “u”, coitadinha, que sofria de mal de Parquinson, agora ficou boa. Foi o médico dizer “não trema” e ela nunca mais tremeu. Escreva-se asssim: linguiça, freguência e as demais que tinham o mesmo mal.

II - Nosso alfabeto, que tinha 23 filhas (letras), acaba de adotar do inglês mais 3 outras filhas: K, W e Y. Tomara que as irmãs adotivas se dêem bem na nova família.

III - Mesmo ao “sol do equador”, algumas palavras antigas - creem, veem, leem, enjoo, voo e semelhantes tiraram o chapéu sem se incomodarem com a careca.

IV - Aliás, os preconceitos, as diferenças caíram por terra: não mais acento diferencial agudo ou circunflexo, nem mesmo nas palavras por, para, pelo, pera, pode (deferenciando verbos e palavras de outra categoria).

V - Algumas palavras ficaram mais suaves perdedendo seus acentos: Assembleia, porque agora as reuniões são em pé; Coreia, onde não havia assento pra todo mundo; jiboia, animal muito deselegante com acento (em assento ou de pé); ideia, que ficou mais dinâmica, e as demais terminadas em eia e oia, por motivos não confessados.


Observações:

1 – Para quebrar a frieza das regras, fiz um jogo de humor com as palavras acento e assento.

2 - Ortografia é letra, escrita; a pronúncia das palavras mencionadas continua a mesma.


Permanência do hífen:

VI - Para evitar choque elétrico na corrente da escrita, usar o hífen quando a 2ª palavra do conjunto começa com “h” . Ex.emplos: mini-hotel, mini-horta, anti-história, extra-humano. O “h” não tem valor mas não gosta de união: é letra egoísta.

VII - Palavras com vogais iguais no meio do conjunto formam umaa nova com o uso do hífen: É o pricípio do choque a ser evitado. Exemplos: anti-imperialista, micro-ondas, auto-organização.

VIII - Também usar o hífen quando a 2ª palavra do conjunto começa com “r” ou “h”. Esta letrinha não tem condição de chamar outra para o conjunto porque é muda. Mas o “r” briga com o irmão e ficam separados. São exemplos: super-homem, hiper-ridículo, inter-relação.

IX - Não usar o hífen se a primeira palavra é vice. Exemplo: vice-presidente. A justificativa é que vice é vice e presidente (ou o cargo que for) é sempre presidente, mesmo quando o vice assume – e continua vice.

IX - Com os prefixos “anti” e “mini”, antes de palavra começada com “s” ou “r”, não usar o hífen, pois o casamento é perfeito, nascendo daí uma filha igual à mãe – a consoante acescentada (duplicada). Exemplos: antissocial, minissaia, minirreforma.

O enterro do hífen

Como vimos, os acentos teem alguma importância e menor complicação. Quanto ao “hífen”, pra falar a verdade, deveria ser extinto como foi o “trema”. Quero viver para presenciar o seu enterro.

______________________
*Francisco Miguel de Moura, escritor, foi professor, mas está aposentadíssimo. Assim seja.

Um comentário:

Jaqueline disse...

Esta foi a melhor maneira de se relatar as mudanças ortográficas. Parabéns pela criatividade!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...