quinta-feira, 15 de abril de 2010

PACIÊNCIA - 1 (Primeira Versão)

Francisco Miguel de Moura*



Paz! Ciência! Sem palavra.


Diz de ti, sinceramente,
o que nunca ousaste de ninguém,
Do mundo que te pariu,
De mim, de mais alguém.
Meu silêncio é tua voz.

Diz-te integral e una,
Ancorada na voz do meu o silêncio,
Qual uma nau perdida no bravo Oceano
Diria aos ventos e às buliçosas ondas.

Todo silêncio brilha como o ouro
Quando a palavra é prata.
E de tudo restaremos nós num outro tempo
E do que julgas o mesmo caos.

Quero sentir o amor que tanto tens
Desperdiçado entre o mundo e tua hora
Contra ti e nada mais.Meu silêncio e tua voz.

____________________
* Poeta brasileiro, mora em Teresina, PI.

Um comentário:

FRANCISCO MIGUEL DE MOURA Teresina, Piauí, Brazil disse...

Amigo recebi da usina de letras o seu poema PACIÊNCIA. Achei tão bem elaborado e tão poético que dei nota dez, como sempre o faço com a sua poesia. Sem a sua permissão, coloquei no meu site/blog. Preferi fazê-lo na categoria "Fragmentos", embora ele seja completo. Mas é porque me afigurou um "momento", um "pedaço de tempo". Não sei me explicar bem, sei que me disse algo, como se uma voz no tempo...
Cheiros,
Rita de Cássia.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...