sábado, 3 de julho de 2010

COMO ADMIRO A NATUREZA

POEMA POPULAR

Autor:  Zé Crispim*

  I
Estava na solidão
E com a mente vazia
Notei que de ilusão
A cabeça preenchia
Aí lembrei no momento
De escrever geografia
        II
O mar, obra magnífica
Do autor da criação
Pela sua bela cor
Movimento e extensão
Panorama encantador
Pra toda a população
        III
Eu admiro as montanhas
Pela sua altitude
Com o seu clima saudável
Nos faz o bem à saúde
E serve como recreio
Para nossa juventude
         IV
Admiro um Grande Rio
como eu já tenho citado
Sendo ele de planície
Ou mesmo encachoeirado
Cortando uma verde flora
Me deixa mais inspirado
          V
E uma densa floresta
Me causa admiração
Onde canta a passarada
Formando sua atração
Toalha verde e perfeita
De Deus, da Santa Mansão
             VI
Admiro a borboleta
Toda ela é bacana
Inclusive a amarela
A verde da cor de cana
Se vê até no jardim
Da praça palaciana
          VII
Admiro o horizonte
Pois o acho muito lindo
Depois que o dia nasce
O sol lhe beija sorrindo
Deixando ele prateado
Me dá um prazer infindo
            VIII
A lua, dama formosa
Que brilha na imensidão
Seu luar encantador
Focalizndo o sertão
Me recorda o romantismo
Do Catulo da Paixão
            IX
São coisas que me fascinam
Onde vemos com certeza
O poder de um Ser Supremo
Que mostra a sua grandeza
Assim eu versei um pouco
Pensando na natureza.

*******
*Zé Crispim  (nome pelo qual é mais conhecido José Crispim de Moura)  é um poeta popular, nascido e criado em Francisco Santos (PI). Já publicou vários livros (folhetos) de poesia, só ou em coautoria com outros poetas da região. É filiado à União Picoense de Escritores. O poema acima foi copiado do livro mais recentes do poeta, "Relíquias Poéticas", Gráfica Brito, 2010 - com prefácio da Profª Francelina Macedo de Holanda (membro da Academia da Letras da Região de Picos - ALERP). Poeta do povo, de um lirismo doce e ingênuo, lembra as poesias mais amorosas e saudosas de Casimiro de Abreu).    
http://franciscomigueldemoura.blogspot.com 
http://cirandinhapiaui.blogspot.com 

4 comentários:

civam67 disse...

Eu confesso que no inicio, nao acreditava ou melhor não conseguia ver a beleza eo lirismo da poesia do poeta Zé Crispim. Hoje vejo o quanto estava errado são relmente belos os seus vesos, simples, porém escrito com, palavras sopradas pelo vento ao seu ouvido e transformadas em poesia no seu coração. Francisco Vilcivam de Sousa. (filho de João Crispim) filhos do "Velho Diogo"

civam67 disse...

Eu confesso que no inicio, nao acreditava ou melhor não conseguia ver a beleza eo lirismo da poesia do poeta Zé Crispim. Hoje vejo o quanto estava errado são relmente belos os seus vesos, simples, porém escrito com, palavras sopradas pelo vento ao seu ouvido e transformadas em poesia no seu coração. Francisco Vilcivam de Sousa. (filho de João Crispim) filhos do "Velho Diogo"

CHIICO MIGUEL disse...

Realmente são bonitos, sonoros, um encanto de poeta romântico - esses poemas de Zé Crispim. Te curto e de amo, meu primo.

abraços

Francisco Miguelde Moura

Armando Morais disse...

rande amigo poeta meus parabéns pelo cordel da adimiração da natureza eu também sou fã dela maravilhosa mãe. Boa tarde, e abraços.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...