segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Rejeição

Não estava comigo agora
fruto da própria condição
abolçava do espelho afora
ressentimentos em prisão

Ausente o renascer d'outrora
flutuava em contemplação
o tempo que a todos devora
me sorri de antemão

Traduzir-se em nada, sem remissão
ser negado como gado-homem em agonia
na impossibilidade da transumanação

suportando remorso na travessia
dor e felicidade tal qual na criação
me desnatura do mundo a hipocrisia.
_______
Autor: Fco. Miguel de Moura Jr.

Um comentário:

Umbelina disse...

Gostei muito da poesia que me enviaste
Obrigada

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...